Encerramento do KSOP em BH entra para a história do Poker Brasileiro

Temporada de sucesso consolida o nome da Kings Eventos como força expoente do poker nacional

Há mais de 10 anos, os mineiros assistiram o paranaense Sergio Brum conquistar o título de Campeão Brasileiro de Poker, no Torneio dos Campeões do BSOP(Brazilian Series of Poker), nos salões do Hotel Mercure em Belo Horizonte. Desde então, a capital mineira só voltou a receber uma etapa de um circuito nacional no ano de 2011, em uma discreta passagem do BSOP pela cidade de Nova Lima. A espera foi realmente muito longa e, neste tempo, nem mesmo o 500K Garantidos do Mineirão, realizados pelo Sierra Poker, conseguiram aliviar a sede do público mineiro pela volta de um torneio do circuito nacional para a capital.

Foi mesmo épico. Depois de uma espera tão longa, não poderia ser diferente.

A 6a etapa do KSOP(Kings Series of Poker) fechou a temporada do circuito, que teve seu primeiro ano ranqueado em 2018. O KSOP passou por São Paulo, Balneário Camboriú, Foz do Iguaçu e Brasília, antes de finalmente chegar ao salão do Hotel Actuall, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Ao todo, foram 26 torneios em 7 dias. No total a premiação distribuída ultrapassou os R$ 2.1 milhões. Entre as disputas, destaque para o torneio Beneficente “Amigos de Minas”, que reverteu integralmente a sua arrecadação para a ONG de mesmo nome. O “Main Event”, que atraiu 717 entradas e teve premiação garantida de R$ 1 milhão e 1º torneio de Clubes do Brasil, que marcou o lançamento da Liga Brasileira de Poker e contou com a participação de 35 equipes vindas de todo o país.

Se não bastasse tudo isso, onze anos depois da conquista de Brum, foi possível ver novamente uma decisão nacional em solo mineiro. Johnatan Oliveira faturou o título do Ranking do KSOP 2018 e levou para casa uma Mercedes Benz 0km, avaliada em R$ 180.000,00.

Johnatan Oliveira faturou uma Mercedes Benz 0km, avaliada em R$ 180.000,00.

Mas não foram somente os números e os fatos acima que fizeram da etapa mineira do KSOP um torneio histórico para o poker brasileiro. O final da temporada 2018 marca também o começo de um novo ciclo para o Circuito e também para sua gestora a Kings Eventos, que consolida seu nome como uma força expoente do poker nacional.

Kings Eventos

A Kings Eventos, em menos de cinco anos de atividade, chamou atenção do mercado, não só pela excelência na organização de mega-torneios, como também pela ousadia e visão de mercado de seus gestores Eduardo Gasparetto e Moisés Branco. No portfólio da empresa constam eventos que mudaram os rumos do poker no país, como o Sul Million de Curitiba e o 1.5 Milhão Garantidos do BPL em Balneário Camboriú que, à época, se tornou o maior torneio do Brasil realizado fora de São Paulo. Isso só para citar dois.

Trabalhando sempre com inovação e excelência, a Kings passou a atrair cada vez mais jogadores de todas as partes do país. Em especial, para a disputa do KSOP, que ganhou força e neste ano, garantiu 1.5 milhão de reais em premiação, por etapa. O circuito é seguido por uma legião de jogadores que já se identificaram com o “jeito Kings” de fazer torneios.

Ao encerrar de forma emblemática o primeiro ano ranqueado do KSOP, a Kings solidificou de forma definitiva seu nome como a segunda força do poker brasileiro. Isto é o resultado de um trabalho sério e bem executado, que agora começa a render frutos, que não devem parar por aí.

Mas não se engane, leitor. Ninguém gosta de ser chamado de “segundo”. E eu não cometeria essa indelicadeza, se não houvesse uma justificativa plausível. Então vou logo me explicar.

É preciso ressaltar que estamos falando aqui de um mercado relativamente novo, onde até então, só existia uma única força dominante. Em seus mais de 12 anos da chamada “era profissional” do poker brasileiro, nunca surgiu outro grupo capaz de fazer frente à força regente. Porém, uma das maiores evidências da maturidade de um mercado é o surgimento da concorrência. E parece que finalmente o poker se mostra maduro e pronto para um novo cenário. Nada mais natural neste contexto, do que surgimento de um novo circuito nacional, feito por novas pessoas e com novas ideias.

Vale lembrar aqui, que antes de chegarmos até este momento, não foram poucas as tentativas para se criar uma segunda via. O próprio PokerStars, antes de se unir ao BSOP, beijou a lona, em sua frustrante investida com BPT(Brazil Poker Tour), em 2011. Isso só serve para valorizar ainda mais a conquista da Kings Eventos, que após 4 anos de trabalho, se mostra pronta para o novo ciclo que começa a partir de 2019. O poker cresceu e finalmente podemos afirmar que existe um novo caminho. Uma nova opção para os jogadores, com qualidade, criatividade e fundamentalmente credibilidade e confiança.

O que vem por aí

Para 2019 a Kings já anunciou seu torneio comemorativo de 5 Anos. A premiação? Nada menos do que Cinco Milhões de Reais. Além disso, o KSOP voltará com força máxima. Sua primeira etapa já tem data marcada, de 13 a 20 de fevereiro, e Três Milhões de premiação Garantida. Além disso, ainda teremos a Liga Brasileira de Poker, que promete trazer algumas novas questões para a discussão. Ou seja, a briga deve ser boa.

O resultado disso é que praças até então esquecidas ou colocadas de lado, como Belo Horizonte, voltarão a ser lembradas pelos organizadores. Estados que nunca tiveram a chance de receber grandes eventos, entrarão na pauta. As premiações serão cada vez maiores e os eventos ainda melhores, mais bem organizados e estruturados.

Por este motivo, a 6ª etapa do KSOP não será esquecida. Ela fecha um Ciclo para o poker brasileiro e anuncia um novo tempo. Até por que, ninguém quer ser “segundo” para sempre. Que venha logo 2019!